Fundo Garantidor de Crédito

Entenda como funciona e para que serve o Fundo Garantidor de Crédito (FGC).

Um dos principais riscos inerentes aos investimentos é a falência da instituição financeira onde seu dinheiro está guardado. Por exemplo, se o banco onde você tem sua Conta Poupança falir, ele não será capaz de lhe devolver o dinheiro que você tinha investido e você acaba sem ver um centavo de volta.

Para evitar esse tipo de situação e dar mais confiabilidade ao sistema financeiro, existem organizações responsáveis por garantir o crédito de certas aplicações. Em outras palavras, estas organizações garantem que você não irá perder seu dinheiro mesmo com a falência da instituição onde ele está investido.

No Brasil, a instituição que desempenha esse papel é o Fundo Garantidor de Crédito.

COMO FUNCIONA O FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITO?

As instituições financeiras são obrigadas por lei a fazer parte do FGC e mantêm guardadas no Fundo Garantidor de Crédito uma reserva de dinheiro que irá garantir o pagamento das dívidas de alguma outra instituição que possa vir a falir.

QUAIS INVESTIMENTOS SÃO PROTEGIDOS PELO FGC?

Os seguintes investimentos são protegidos pelo FGC:

  • depósitos à vista ou sacáveis mediante aviso prévio
  • depósitos de poupança
  • depósitos a prazo, com ou sem emissão de certificado
  • depósitos mantidos em contas não movimentáveis por cheques destinadas ao registro e controle do fluxo de recursos referentes a prestação de serviços de pagamento de salários, vencimentos, aposentadorias, pensões e similares
  • letras de câmbio
  • letras imobiliárias (LI)
  • letras hipotecárias (LH)
  • letras de crédito imobiliário (LCI)
  • letras de crédito do agronegócio (LCA)
  • operações compromissadas que têm como objeto títulos emitidos, após 8 de março de 2012, por empresa ligada.

COMO FUNCIONA A GARANTIA DADA PELO FGC?

O FGC garante até R$250.000,00 por número de CPF/CNPJ por instituição. Acompanhe os exemplos abaixo:

Suponha que você possui R$200.000,00 investidos no Banco A e R$200.000,00 investidos no banco B:

Garantia do FGC

No caso da falência de ambos os bancos, você receberá o valor que possuía investido em cada banco

Suponha que você possui R$200.000,00 investidos na poupança e R$200.000,00 em um CDB, tudo do Banco A:

Garantia do FGC

Em caso de falência do banco, você receberá somente R$250.000,00, pois este é o limite de proteção do FGC por instituição financeira.

Portanto, quando for investir, procure:

  • Diversificar em vários investimentos
  • Investir menos do que R$250.000,00 em uma mesma instituição (especialmente se for pequena)

Saiba mais acessando o site do Fundo Garantidor de Crédito.

Compartilhe este artigo:

TwitterFacebookGoogle+BufferPin It