INVE$TINDO

Aprenda a investir de forma simples e rápida!

Quanto custa investir no Tesouro Direto?

As taxas para se investir no Tesouro Direto incluem:

  • Taxa de Administração: valor pago à corretora de valores para execução de ordens e custódia dos títulos;
  • Taxa de Custódia: taxa paga para a Bolsa de Valores para manutenção da conta de custódia;
  • Imposto sobre Operações Financeiras (IOF): para vendas em períodos menores do que 30 dias; e
  • Imposto de Renda: cobrado sobre o lucro de acordo com a tabela regressiva de renda fixa.

Taxa de Administração

Essa é uma taxa cobrada pelas corretoras de valores quando você executa uma compra ou para manutenção dos seus títulos.

Normalmente, ela é cobrada como um valor percentual sobre o total investido.

Era comum que as corretoras cobrassem taxas entre 0 e 2% ao ano, no entanto, com a popularização do sistema, a grande maioria deixou de cobrar essas taxas do seus clientes.

É possível conferir as corretoras e as respectivas taxas no site do Tesouro Direto.

Taxa de Custódia

A taxa de custódia é uma taxa cobrada pela Bolsa de Valores para manutenção da conta de custódia (conta eletrônica onde ficam depositados os títulos do investidor).

Atualmente, ela equivale a 0,25% ao ano do valor total investido.

Essa taxa é cobrada:

  • De forma semestral, em duas parcelas de 0,125% no primeiro dia útil de janeiro e julho; ou
  • Quando ocorre algum evento de custódia, como venda antecipada, vencimento do título ou recebimento de cupons.

A taxa é debitada automaticamente da conta corrente da corretora do investidor. Por isso, é importante estar atento e deixar disponível na corretora o dinheiro para pagamento das taxas.

Isenção

Para investidores que possuam títulos Tesouro SELIC até um estoque de R$10.000,00, não será cobrada a taxa de custódia.

A cobrança da taxa de 0,25% só incidirá sobre os valores acima de R$10.000,00.

Assim, um investidor que tenha R$11.000,00 aplicados em títulos Tesouro SELIC, irá pagar 0,25% de taxa de custódia sobre os R$1.000,00 que excedem o limite de isenção:

Montante Aplicado (R$) Taxa a pagar
10.000,00 0,00
11.000,00 2,50

Essa isenção não se aplica para os outros tipos de títulos.

IOF

O IOF é cobrado sobre o rendimento obtido em um título caso o período de investimento seja inferior a 30 dias.

Por exemplo, caso você compre um título hoje por R$1.000,00 e o venda daqui a cinco dias por R$1.010,00, tendo um lucro de R$10,00, pagará IOF sobre o lucro.

O IOF é cobrado de forma regressiva conforme a tabela da figura 1:

Nº Dias Alíquota Nº Dias Alíquota Nº Dias Alíquota
1 96% 11 63% 21 30%
2 93% 12 60% 22 26%
3 90% 13 56% 23 23%
4 86% 14 53% 24 20%
5 83% 15 50% 25 16%
6 80% 16 46% 26 13%
7 76% 17 43% 27 10%
8 73% 18 40% 28 6%
9 70% 19 36% 29 3%
10 66% 20 33% 30 0%

Figura 1 - Tabela do IOF para o Tesouro Direto - Fonte: Receita Federal

A cobrança desse imposto visa desistimular a negociação dos títulos a curto prazo.

O IOF é cobrado automaticamente quando você:

  • Faz a venda de um título;
  • Recebe um título que venceu; ou
  • Recebe cupons de redimento.

Imposto de Renda

O imposto de renda incide sobre os ganhos obtidos como rendimento dos títulos.

Ele é cobrado de acordo com a tabela regressiva da figura 2:

Alíquota Tempo de aplicação
22,5% Até 180 dias
20% Até 360 dias
17,5% Até 720 dias
15% Acima de 720 dias

Figura 2 - Tabela regressiva de IR para Renda Fixa - Fonte: Receita Federal

O imposto é cobrado automaticamente quando você:

  • Faz a venda de um título;
  • Recebe um título que venceu; ou
  • Recebe cupons de redimento.
Última atualização: 2020-08-06