INVE$TINDO

Aprenda a investir de forma simples e rápida!

Alavancagem

O que é alavancagem?

No mercado financeiro, utiliza-se o termo alavancagem para descrever estratégias onde é aplicado dinheiro de terceiros para multiplicar a rentabilidade.

A alavancagem pode ser feita tanto através de dívidas quanto através de instrumentos financeiros que permitem movimentar grandes volumes sem que seja necessário alocar todo o capital.

Ao multiplicar as possibilidades de retorno, a alavancagem também multiplica as possibilidades de perda, tornando o risco da operação mais elevado.

Como Funciona?

Suponha uma empresa que tenha capital inicial de R$10.000,00.

Digamos que ela consiga gerar R$1.000,00 de lucro ao ano. Isso dá um retorno de 10,00% aos donos da empresa.

Se essa empresa fizer um empréstimo de R$5.000,00 ela terá R$15.000,00 para alocar em atividades produtivas que geram lucro.

Vamos supor que com R$15.000,00 de capital alocado a empresa consiga gerar um retorno de R$1.500,00.

Esse novo retorno equivale a um ganho de 15,00% sobre o capital inicial de R$10.000,00.

Neste exemplo, os donos da empresa conseguiram aumentar seu retorno utilizando dívida e sem arriscar mais capital próprio.

Para considerar se é vantajoso fazer dívidas, os administradores da empresa precisarão considerar fatores como:

  • Custo da dívida;
  • Prazo para pagamento;
  • Se o retorno gerado é superior aos juros; e
  • Se o risco é adequado.

Alavancagem através de Margem

Em alguns ativos financeiros tais como os contratos futuros, o investidor precisa alocar apenas um percentual do volume total movimentado pelo contrato, o que é chamado de margem.

Por exemplo, suponha uma margem de 5,00% e um contrato futuro de soja onde o ativo negociado são 450 sacas de soja.

Se o preço da saca for de RS$100,00, o volume financeiro de um contrato seria de R$45.000:

Volume=450×100=45.000Volume = 450 \times 100 = 45.000

No entanto, como para movimentar um contrato só é necessário ter uma margem de 5%, o investidor terá de alocar somente R$2.250,00.

Se a saca da soja subir R$1,00, o investidor terá um retorno positivo de R$450,00.

Sobre o valor aplicado de R$2.250,00 isso equivale a um ganho de 20,00%.

Ou seja, para cada variação de 1,00% no preço da saca, o capital do investidor tem um impacto de 20,00%. Temos, portanto, uma alavancagem de 20 vezes.

Se o preço da saca variar em 5,00% para baixo, o investidor perde todo o seu dinheiro.

Se o preço da saca variar em mais de 5,00% negativos, o investidor fica devendo dinheiro.

Alavancagem e o Investidor

A alavancagem pode conviver com o investidor de diferentes maneiras:

  • Através de suas próprias operações;
  • Nas empresas em que investe; ou
  • Na estratégia de gestores a quem tenha confiado seu dinheiro.

No primeiro caso, não há muito a ser dito, o investidor deve fazer uma gestão de risco adequada e controlar suas operações para não acabar perdendo mais capital do que possui.

No caso das empresas, será preciso analisar as características de alavancagem através de análises dos demonstrativos contábeis e múltiplos fundamentalistas e averiguar se a empresa cumpre os seus critérios de seleção para investimento.

No caso de fundos de investimento e gestores terceirizados é importante que o investidor tome conhecimento do nível de alavancagem e o grau de risco envolvido nas estratégias em que seu dinheiro é aplicado.

Lembre-se que, no caso de perdas significativas, os responsáveis por cobrir o rombo são os investidores e cotistas e não os gestores.

Última atualização: 2019-12-09