INVE$TINDO

Aprenda a investir de forma simples e rápida!

Benchmark

O que é Benchmark?

Um benchmark é uma medida padrão com a qual se compara a performance de algum ativo, fundo de investimento ou gestor de recursos.

Normalmente, utiliza-se como benchmark um indicador capaz de refletir o movimento de uma classe de ativos ou algum aspecto mais amplo do mercado financeiro.

Utilização

De maneira geral, benchmarks são utilizados para:

  • Avaliar a performance de um ativo;
  • No cálculo de taxas de administração de recursos, tais como a taxa de performance; e
  • Como referência de alocação de recursos, como acontece no caso dos ETF ou fundos de índice.

Benchmark e o Mercado

No Brasil, é comum utilizar-se os índices amplos como benchmark.

Por exemplo:

  • IBOVESPA para o desempenho de fundos de ações ou uma carteira de ações em geral; e
  • IFIX para o desempenho de Fundos Imobiliários.

Além desses, podem também ser utilizados índices setoriais ou algum grupo específico de ativos, tais como é o caso do IMA-B ou do CDI.

Análise da Performance

Para analisar se uma determinada estratégia está gerando resultados positivos (alfa), compara-se o resultado obtido pela estratégia com o resultado do benchmark utilizado. Por exemplo:

Se uma carteira de ações gerida de forma ativa rendeu 10,00% em um ano enquanto o IBOVESPA rendeu 9,00% no mesmo período, a gestão ativa trouxe benefícios ao investidor.

Essa comparação faz sentido porque os índices amplos são uma maneira de avaliar o movimento do mercado neutralizando os riscos específicos que cada ativo possui. Assim, a estratégia mais simples seria apenas copiar a carteira do índice e obter o mesmo resultado, minimizando os riscos.

Ao optar por uma estratégia ativa, o investidor incorrerá em um risco diferente ao refletido pelo índice e, caso esse risco seja superior, é de se esperar que os rendimentos também sejam superiores, como forma de premiar o investidor pelo risco tomado.

Taxa de Performance

É comum que os gestores de recursos utilizem benchmarks para analisar o resultado de suas estratégias e cobrem taxas sobre o rendimento que for superior ao do benchmark, chamada de taxa de performance.

Essa taxa seria uma forma de incentivar e recompensar os gestores pela busca por uma melhor performance, o que acabaria beneficiando seus clientes.

A taxa de performance costuma ser um percentual do rendimento superior ao benchmark aplicado sobre o patrimônio (PL) gerido. Por exemplo

  • Um fundo que possua taxa de performance de 20% sobre o que exceder o IBOVESPA e PL de R$1.000.000,00;
  • Em determinado ano, o fundo tem um rendimento de 15,00% enquanto o IBOVESPA teve um rendimento de 10,00%;
  • O fundo entregou uma performance 5,00% acima do IBOVESPA.

Cálculo da taxa de performance:

TaxadePerformance=5,00%×20,00%=1,00Taxa\,de\,Performance = 5,00\% \times 20,00\% = 1,00%

Cálculo do valor a ser pago:

ValordaTaxa=1,00%×1.000.000=10.000Valor\,da\,Taxa = 1,00\% \times 1.000.000 = 10.000

Gestão Passiva

Como os índices utilizados como benchmark passaram a ser utilizados como referência de performance de um mercado amplo que elimina os riscos específicos de cada ativo, surgiu uma nova estratégia de investimento que busca copiar esses índices.

É o caso dos fundos de gestão passiva, onde a estratégia consiste apenas em seguir o índice e nada mais, cobrando-se uma pequena taxa de admnistração que não penalize o rendimento do investidor.

Assim, suponha um índice que busque refletir o desempenho das ações de empresas da industria pesada e que tenha a seguinte composição:

Ação Participação
AAAA3 10,00%
BBBB3 30,00%
CCCC3 15,00%
DDDD3 5,00%
EEEE3 20,00%
FFFF3 20,00%

Figura 1 - Exemplo hipotétido da composição de um índice.

Um fundo de investimento que deseje replicar esse índice, irá comprar estas mesmas ações em quantidade semelhante a sua participação no índice. Dessa forma, movimentações no índice serão refletidas no fundo.

Benchmark e o Investidor

Sempre que se deparar com a análise do desempenho de um ativo qualquer o investidor deve:

  • Conhecer como os cálculos envolvidos são realizados; e
  • Analisar se o benchmark utilizado realmente tem sentido.

Por exemplo, não faz sentido utilizar como referência para o beta de Fundos de Investimento Imobiliário (FII) o índice IBOVESPA, que é composto de ações e cuja variação de preço não tem qualquer relação com os FII.

No caso dos fundos de gestão passiva, é importante ficar atento às taxas de administração cobradas, pois elas podem impactar negativamente nos seus resultados.

Última atualização: 2019-11-25