INVE$TINDO

Aprenda a investir de forma simples e rápida!

Taxa Referencial (TR)

O que é Taxa Referencial?

A Taxa Referencial ou TR, é uma taxa de juros calculada pelo Banco Central do Brasil e divulgada mensalmente.

Ela foi criada para servir como taxa básica de juros de referência para as demais taxas do Brasil, sendo posteriormente substituida pela taxa selic nesta função.

Até 2018, era calculada com base nas remunerações oferecidas pelos Certificados de Depósitos Bancários (CDB) e Recibos de Depósito Bancário (RDB) das 30 maiores instituições bancárias do Brasil. Nessa metodologia, a TR representava a expectativa futura de inflação pelo agentes que negociavam os títulos financeiros.

A partir de 2018, o Conselho Monetário Nacional (CMN) emitiu resolução alterando a metodologia de cálculo, passando a TR a depender das taxas de juros das Letras do Tesouro Nacional.

Para que serve a Taxa Referencial?

A Taxa Referencial é utilizada como fator de remuneração/correção dos valores aplicados na:

  • Poupança;
  • FGTS; e
  • Títulos de Capitalização.

Como se calcula a Taxa Referencial?

A TR é calculada a partir de outra taxa, a Taxa Financeira Básica.

Sobre a TBF é aplicado em um fator redutor calculado diariamente, resultando na TR.

O redutor é utilizado como uma "compensação" ao fato da poupança ser isenta de imposto de renda, evitando que seu rendimento seja desproporcional à outras aplicações financeiras.

Os cálculos exatos podem ser verificados na resolução do CMN.

Valores da taxa podem ser obtidos no Sistema de Séries Históricas do Banco Central.

Taxa Referencial e o Investidor.

A principal influência da TR para o pequeno investidor está na sua utilização como um dos fatores de redimento da poupança ( o outro sendo a taxa SELIC).

Após a nova metodologia de cálculo, a TR passou a ser 0,0% ao mês e assim tem se mantido. Ou seja, na prática, ela não mais influencia no rendimento.

Isso torna a poupança um investimento com rendimento muito pouco atrativo, na maior parte do tempo apresentando um rendimento real negativo.

Dessa forma, convém buscar alternativas como o Tesouro Direto para quem deseja investir em renda fixa com segurança.

Referências:

ASSAF NETO, Alexandre. Mercado Financeiro. 14 ed.,São Paulo. Atlas, 2019.

BRASIL. Lei 8.177 de 1 de março de 1991.. Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8177.htm.

BACEN. Resolução 4.624 de 18 de janeiro de 2018.. Disponível em https://www.bcb.gov.br/content/estabilidadefinanceira/especialnor/Resolucao4624.pdf.

Última atualização: 2020-04-12